SINTA-SE AVONTADE...


NOSSO CANTINHO POÉTICO...

ENTRE E PERCORRA TODO JARDIM, SINTA AS FRAGÂNCIAS DO AMOR, ...HUM! ENCANTE-SE, SONHE, SONHE... O AMOR É DOM É DÁDIVA O AMOR É VIDA. AME-SE E SE DEIXE AMAR...

quarta-feira, 8 de março de 2017

"M U L H E R"


O ponto fundamental é a igualdade, Independente do gênero somos seres humanos, sentimentos, desejos, responsabilidades tudo igual, partilhamos diferenças que sábia mente se completam, não adianta levantar a bandeira do individualismo, sou a favor do companheirismo, cumplicidade, creio no amor, não, no amor eterno mais no amor que se renova todos os dias, através das gentilezas, olhares, carinho e muito respeito. Palavra de mulher...Marta Lucena.

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Amor Que Ama...


Amor Que Ama...

Enxergue-me com olhar
Complacente  de cura  
Com palavras doces
Não múrmure
Não cegue meu  coração
Que sangra de tanto amar.

Não seja noite, seja dia.
Dá-me o que necessito
Amor infinito
Sou eu que te peço
Empresta-me os olhos
Dá tua alma
Guia-me com o coração.

Lucidez implora-te
O meu amor é maior
Que a insensatez
Do “NÃO”
Escolhe o amor apaixonado
Diga “SIM” ao amor...
Que não se mede
Que não se pede
Ao amor que só “AMA”
“EU” sou esse  amor...


         Marta Lucena 

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

DESENHO DA ALMA




Desenho Da Alma

Sou eu um ser sobrevivente
Ao som do desalento
Das fragrâncias da alma
Caminho lentamente
Em silêncio...
Essência emudecida
Amordaçada....
Jogo do amor mal entendido
Minhas palavras não convencem
Embaralha-se...
Voa ao vento sem destino
Na escuridão  do espaço
No tempo de quem ama
E, não é amado...
A dor é pertinente, febril.
Primavera que não explode
No peito...
A rosa murchou... Desfaleceu
O vento suas pétalas espalhou
Restaram-me as lembranças...
E meus velhos poemas de amor.

Marta Lucena






sexta-feira, 11 de abril de 2014

PAIXÃO...



PAIXÃO...

Eu disse ao amor, apaixonei-me
Meu coração em sentimentos
Declara estou amando, suspiros
Sou um pouco lua, botão de rosa
Bem-me-quer, malmequer 
Cheia de encantos...Misteriosa
Eu, talvez nem conte desse amor
Pra ninguém...
Sou assim dramática, intensa
Quem sabe um dia o amor dirá
O quanto sonhei, esperei, te amei
Será o tempo o mensageiro...
Ou o cupido talvez  declame
O amor, aconteceu!
Esse amor não é real...
É sonho amor platônico
Essência de gravo e rosa  
Teus aromas invadem-me
Teus poemas manjares
Alimenta e me seduz
embriago-me de você
Perdidamente me apaixonei...

Marta Lucena 

domingo, 26 de janeiro de 2014

SEM PALAVRAS




SEM PALAVRAS...

Estou na tua frente, o amor me trouxe
Em sorriso teu olhar... Acalma-me
Teus braços me acolhem em abraços
O silêncio narra um poema de amor
O amor nos embriaga, envolve-nos
Tua boca na minha em um beijo terno
Um beijo enamorado, um beijo desejado
Beijo sedento mata-nos a sede...
Oásis no nosso deserto de amar...
Amo-te...
Em cenário de amor a lua lá fora
Nos espera, nua, as estrelas a despiram
Sob o manto da lua, toda magia...
Fascínio...
Noites de juras, suspiros, prazeres
Nosso primeiro encontro... De amor.

Marta Lucena


quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

SONHO OU DESTINO...




Sonho ou Desatino

Imaginar você na minha vida...
é  viajar por caminhos de sonhos
é ouvir cantos líricos / dramáticos
prostrar-se ao amor inaudito, inarrável.

Imaginar você na minha vida.
parece pacto, destino, encontro de almas
luar com estrelas, sol incandescente
canto de sereias, benção dos deuses
floresta encantada, riacho cristalino
água que cura, sabor de néctar germinado.

Imaginar você na minha vida...
me pluraliza o meu amor eterniza
meu grito alcança o infinito, ecoa
amar , amar,  amar  apenas amar!!!

Imaginar você na minha vida...
é  sentir teu cheiro que me inunda
momentos de suplicas e juras
desejos, beijos, loucuras, apelos
anseios,  volúpia, lucidez, procura.

Imaginar você na minha vida...
é desatino, dormir e não acordar
é silêncio silencioso, estrada sem rumo
vagalume na escuridão, amor sem volta
 sonho, destino, enigmático, instintivo
imaginar não é te ter, é febre que devora
solidão que entristece, realidade imatura
um sonho, destino não é, só  insensatez...  


   Marta Lucena  



quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

V A Z I O

Adicionar legenda


VAZIO


Em sono profundo me afastei da vida
Queria conversar com minha alma
Ir ao encontro do meu inconsciente
Intender a profundeza do amor
Sentimento que invadiu meu coração
Enxergar no silêncio o que me restava
Dos fragmentos do amor que inventei
No túnel obscuro da minha existência
A vida morreu o amor não existe
Silêncio só o que ouço, o sonho acabou
Só a memória esqueceu-se de esquecer
Meu coração é de carne, sangra...
E o amor se esvai...

Marta Lucena